Telefone/Fax: (67) 3317- 6955
Rádio
Perpétuo Socorro
CLÍQUE PARA OUVIR
MAIS NOTÍCIAS

Prefeitura encerra amanhã inscrições de seleção com salários de até R$ 2,8 mil
19 DE JULHO

Governo fixa preços de alimentos para a merenda em escolas estaduais
19 DE JULHO

Quinta amanhece com céu claro e temperaturas podem atingir até 36ºC
19 DE JULHO

Conhecer, experimentar e anunciar Jesus é proposta da trilha PHN
18 DE JULHO

IFMS divulga resultado de seleção com 71 vagas para cursos de graduação
18 DE JULHO

Dia começa com alerta de baixa umidade do ar em 29 cidades de MS
18 DE JULHO

Candidatos já podem consultar o resultado da 2ª chamada do Prouni
17 DE JULHO

Abertas inscrições do Encceja para detentos de presídios e de UNEI´s
17 DE JULHO

Terça-feira deve ser mais um dia quente e seco no Estado, prevê Inmet
17 DE JULHO

Consulta ao saldo do PIS está liberada a partir desta segunda
16 DE JULHO

Glória e cruz, em Cristo, caminham juntas, diz Papa

Campo Grande News, 30 de Junho, 2018
30061808820 papa solenidade sao pedro sao paulo reuters alessandro bianchi
Sexta-feira, 29 de junho, dia em que a Igreja celebra a Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo. No Vaticano, o Papa Francisco presidiu a Santa Missa com a benção do pálio destinado aos arcebispos metropolitanos nomeados no último ano.

Acesse
.: Íntegra da homilia do Papa

Participaram da Missa de hoje os cardeais criados ontem em Consistório e a delegação do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, que tradicionalmente visita Roma nesta ocasião. Após o rito da benção do pálio, Francisco deu sequência com a celebração eucarística. Na homilia, traçou uma reflexão a partir da pergunta presente no Evangelho refletido na Solenidade – “E vós, quem dizeis que eu sou?” – e da resposta dada por São Pedro: “Tu és o Messias”.

“Como Pedro, também nós podemos confessar com os nossos lábios e o nosso coração não só aquilo que ouvimos, mas também a experiência concreta da nossa vida: fomos ressuscitados, acudidos, renovados, cumulados de esperança pela unção do Santo”.

Francisco observou que, ainda nesse trecho do Evangelho, mais à frente, Jesus anuncia aos discípulos o sofrimento pelo qual haveria de passar, chegando à morte e à ressurreição. Nesse ponto, atentou para a reação de Pedro: pensando em defender os direitos de Deus ao dizer “Deus Te livre, Senhor! Isso nunca Te há de acontecer”, Pedro transformou-se em pedra de tropeço no caminho do Messias. Nesse sentido, olhar para a vida de Pedro significa para os fiéis de hoje ficar em alerta para as tentações que podem aparecer ao longo da vida.

“Contemplar a vida de Pedro e a sua confissão significa também aprender a conhecer as tentações que hão de acompanhar a vida do discípulo. À semelhança de Pedro, como Igreja, seremos sempre tentados por aqueles ‘sussurros’ do maligno que serão pedra de tropeço para a missão. Digo ‘sussurros’ porque o demônio seduz veladamente, fazendo com que não se reconheça a sua intenção”, explicou.

O Papa frisou por fim que, ao contrário disso, participar na unção de Cristo é participar na sua glória, que é a própria Cruz. “Glória e cruz, em Jesus Cristo, caminham juntas e não se podem separar; porque, quando se abandona a cruz, ainda que entremos no deslumbrante esplendor da glória, enganar-nos-emos porque aquela não será a glória de Deus, mas a pantomina do adversário”.

“Várias vezes sentimos a tentação de ser cristãos, mantendo uma prudente distância das chagas do Senhor. Jesus toca a miséria humana, convidando-nos a estar com Ele e a tocar a carne sofredora dos outros. (…) Jesus, não separando da cruz a glória, quer resgatar os seus discípulos, a sua Igreja, de triunfalismos vazios: vazios de amor, vazios de serviço, vazios de compaixão, vazios de povo”, acrescentou o Santo Padre.

A Igreja no Brasil celebrará esta solenidade no domingo, 1º. No Brasil, algumas solenidades são transferidas para o domingo por questões pastorais, para que se tenha uma maior participação do povo.

Sobre o pálio
O pálio que foi abençoado hoje para os arcebispos metropolitanos é símbolo do serviço e da promoção da comunhão na própria Província Eclesiástica e na sua comunhão com a Sé Apostólica. Trata-se de uma espécie de colarinho de lã branca, com dois apêndices – um na frente e outro nas costas. Possui seis cruzes bordadas em lã preta: quatro no colarinho e uma em cada um dos apêndices.

Em 2015, o Papa Francisco modificou o rito de imposição do pálio. Antes, o pálio era colocado pelo Santo Padre na Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, agora não mais. O Papa abençoa o pálio e a imposição é feita posteriormente, nas respectivas dioceses de origem pela mão dos Núncios Apostólicos locais.

Entre os arcebispos que receberam o pálio hoje, está um brasileiro: Dom Airton José dos Santos, arcebispo de Mariana (MG).


Campo Grande News, 30 de Junho, 2018