Telefone/Fax: (67) 3317- 6955
Rádio
Perpétuo Socorro
CLÍQUE PARA OUVIR
MAIS NOTÍCIAS

Termina hoje prazo para pagar taxa de inscrição do Enem
23 DE MAIO

Quarta-feira será mais um dia de tempo claro com névoa seca
23 DE MAIO

Termina no dia 11 inscrição de concurso da Marinha com vagas em Ladário
22 DE MAIO

Terça-feira será de sol com temperaturas em elevação e noite fria
22 DE MAIO

40 cidades de MS registraram temperaturas abaixo dos 9ºC
21 DE MAIO

Taxa de inscrição no Enem deve ser paga até quarta-feira
21 DE MAIO

Aposentadoria por idade já pode ser pedida pelo telefone ou internet
21 DE MAIO

Prazo para agendamento de perícia no INSS termina nesta segunda-feira
21 DE MAIO

Sensação térmica é de 1ºC, mas temperatura deve aumentar
21 DE MAIO

Trailer em praça da Capital encerra vacinação contra gripe nesta 6ª feira
18 DE MAIO

Padres ressaltam bom senso e maturidade para o cristão no carnaval

Canção Nova, 09 de Fevereiro, 2018
09021808830 padre marcio prado
O carnaval é uma tradicional festa popular comemorada por milhões de brasileiros. Apesar de sua origem pagã, a festa é vista pela Igreja como uma oportunidade de evangelização, afirmou o Vice-reitor do Santuário do Pai das Misericórdias, na sede da Canção Nova – em Cachoeira Paulista (SP) -, padre Márcio do Prado. O sacerdote ainda esclarece: “O carnaval não é proibido, desde que se viva como cristão no carnaval”.

A festa era na antiguidade, de acordo com o sacerdote, uma despedida da carne, proposta que foi incorporada no tempo de penitência e abstinência vivido pela Igreja, a Quaresma. “Se faz festa sim, e depois se entra neste clima penitencial, de abstinência, de oração, mas também de caridade. Então a Igreja vê sim o carnaval como uma oportunidade de evangelização”, reiterou padre Márcio.

“Graças ao bom Deus ainda existem lugares e pessoas que festejam o carnaval de forma saudável, em família, onde realmente se vive uma brincadeira, não uma depravação, bebedeira, sexualidade e essas realidades. Os retiros, rebanhões e os vários encontros de carnaval conseguem proporcionar momentos de alegria através da dança e da música, e ao mesmo tempo passar uma mensagem cristã”.
Leia também
.: Acampamento de Carnaval na Canção Nova começa nesta sexta-feira
Segundo o cura da Catedral de Lorena (SP), padre Rodrigo Fernando Alves, Papa Francisco, em discursos e documentos pontifícios, tem pedido à Igreja a construção de pontes, não de muros.

“Podemos dizer que a Igreja vê, partindo deste momento eclesial, todas as sadias manifestações como elementos da cultura, com a qual ela, como mãe, precisa conviver e dialogar”, sublinhou o padre, que lembrou os católicos que, durante as festas populares, é preciso sempre se recordar da condição que os pertence, a de cristãos.

Apesar de sublinhar a possibilidade do cristão viver de forma saudável a festa popular, padre Márcio alertou para a perda do sentido da data e para a forma como muitas pessoas têm aproveitado o carnaval, fatores muitas vezes condenados pela Igreja.

“A Igreja condena, se assim podemos dizer, estes carnavais que falam de traição, ou que apresentam o nudismo como forma de brincadeira. Nós como cristãos sabemos que o corpo é templo do Espírito Santo”, explicou.

De acordo com padre Rodrigo, o católico precisa ter bom senso, maturidade, e assim como São Paulo Apóstolo, não se fazer presente onde se percebe “fraco”.

Um carnaval diferente
A coordenadora pedagógica, Priscila Alves Ferreira Guimarães Dias, lorenense de 27 anos, após passar o carnaval em Salvador (BA), com os amigos, afirmou ter se sentido incomodada com algumas situações que presenciou, de drogas, bebidas e prostituição, e sentiu que precisava fazer algo diferente.

Sentido a necessidade de fazer algo por outros jovens, elaborou em 2009 um retiro. A ideia, segundo Priscila, era unir os movimentos da Igreja Católica de sua cidade e proporcionar um encontro com dinâmica, Adoração ao Santíssimo, palestras, músicas e festas. De imediato, a proposta não recebeu apoio suficiente para que conseguisse ser executada, mas Priscila não desistiu, e anos depois o Movimento de Aldeias de Vida apoiou o projeto.

O retiro, denominado “Aldeia Folia”, está neste ano de 2018 em sua 3º edição e já contabiliza 168 inscritos e 140 voluntários. O encontro, que em sua primeira edição englobava apenas jovens da cidade Lorena – propósito inicial estabelecido por Priscila -, tem hoje a participação de pessoas das cidades de Pindamonhangaba, Taubaté, Santa Isabel, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Para padre Rodrigo, o ser humano, em harmonia, em equilíbrio e fazendo o que é belo e bom, trabalha a espiritualidade, ainda que em momentos que não sigam necessariamente rituais religiosos.

Sobre os diversos jovens que se mostram em dúvida quanto a aproveitar o carnaval nos retiros, ou, aproveitá-lo em outros ambientes, Priscila aconselha: “Se a pessoa tiver um pouco de vontade, deve se propor a viver um carnaval diferente. O que a gente tem de retorno é muito maravilhoso, nos preenche. Não saímos de um carnaval vazios, como a maioria dos jovens sai, saímos preenchidos”, finalizou.


Canção Nova, 09 de Fevereiro, 2018