Telefone/Fax: (67) 3317- 6955
Rádio
Perpétuo Socorro
CLÍQUE PARA OUVIR
MAIS NOTÍCIAS

Sexta-feira amanhece com 13ºC, mas temperatura sobe e máxima atinge 31ºC em MS
23 DE JUNHO

Vencer preconceito é fundamental para acolhida de refugiados, diz diretora do IMDH
22 DE JUNHO

Refugiados agradecem ao Papa por 'abrir as portas da Igreja'
22 DE JUNHO

Quinta-feira com previsão de tempo seco e máxima de 30ºC em MS
22 DE JUNHO

Com frio de 10ºC inverno chega a MS e só vai embora em 22 de setembro
21 DE JUNHO

Senai está com inscrições abertas para 19 cursos de qualificação
20 DE JUNHO

Projeto itinerante de cadastro de vagas vai atender seis bairros nessa semana
20 DE JUNHO

MS registra mínima de 3ºC e geadas, mas temperatura deve subir até 26ºC
20 DE JUNHO

Frente fria chega ao Estado nesta segunda-feira derrubando temperatura para 10ºC
19 DE JUNHO

Agências da Caixa abrem às 9h para saque do FGTS das contas inativas
14 DE JUNHO

São Pedro Claver
Atualizado em 09 de Março, 2017



História do Padroeiro

O papa Leão XIII, ao canonizar São Pedro Claver, declarou: "Pedro Claver é o santo que mais me impressionou depois da vida de Cristo". Nasceu em Verdú, na Catalunha (Espanha) em 1580. Desejando os piedosos pais consagrar o filho ao serviço do altar, enviaram Pedro à Salsona para estudar os primeiros elementos da gramática. Com 15 anos, o Bispo de Salsona conferiu-lhe a primeira tonsura e, aos 21 anos, entrou na Companhia de Jesus em Barcelona. Pedro era devotíssimo da Virgem Maria e um profundo adorador de Jesus Eucarístico. Após os estudos, Pedro foi ordenado sacerdote e enviado como missionário à Cartagena, porto da Colômbia, onde viveu seu apostolado entre os escravos por mais de quarenta anos.

Em Cartagena, Pedro Claver estava diante de um dos três portos negreiros da América Espanhola, onde a cada ano chegavam de 12 a 14 navios carregados de escravos. Os escravos trazidos ou "roubados" da África ficavam durante a viagem nos porões escuros do navio, que não tinham condições para abrigar seres humanos. Eram tratados com menos cuidado do que os animais selvagens, e por fim os que não morriam, eram vendidos. Sem dúvida, o mercado dos escravos foi a página mais vergonhosa da colonização das Américas. Muitos missionários levantaram a voz contra esta desumanidade, mas sofriam perseguições e eram expulsos. O Papa proibiu repetidas vezes o comércio de escravos, mas a voz da Igreja não comovia a dureza dos comerciantes nem das autoridades.

Durante mais de quarenta anos, a vida de Pedro Claver foi servir àqueles escravos, cuidando deles, do físico ao espiritual. Claver fazia de tudo para evangelizar um por um. Por suas mãos passaram mais de trezentos mil escravos. No dia 3 de abril de 1622, Pedro Claver acrescentou aos votos religiosos de sua profissão mais um voto: o de gastar a vida inteira ao serviço dos negros escravos. Testificando este voto, escreveu de próprio punho: "para sempre escravo dos negros". Vítima da caridade, acabou morrendo em 1654, com 74 anos de idade e 52 anos de vida religiosa, quando ao socorrer o Cristo excluído e chagado, pegou uma terrível peste. Foi declarado pelo Papa Pio X especial patrono de todas as missões entre os negros.

Endereço:
Rua Charlote, Q 17, L 13 - Jardim Aero Rancho
Campo Grande – MS

Horários de Missa:
Sábado às 19h30