Telefone/Fax: (67) 3317- 6955
Rádio
Perpétuo Socorro
CLÍQUE PARA OUVIR
MAIS NOTÍCIAS

Dia de Jejum e Oração pela Paz mobiliza Igreja no Brasil e no mundo
24 DE FEVEREIRO

Estado terá sábado de tempo claro com possibilidade de chuva na região oeste
24 DE FEVEREIRO

Educação é fundamental, diz padre sobre combate à violência juvenil
23 DE FEVEREIRO

Meteorologia prevê sexta-feira sem chuva na maior parte do Estado
23 DE FEVEREIRO

IFMS abre nesta sexta-feira inscrições de convocados na 3ª chamada
23 DE FEVEREIRO

Após estragos, chuva dá trégua e Inmet prevê dia nublado para MS
22 DE FEVEREIRO

Funsat abre inscrições para processo seletivo com salários de até R$ 8,4 mil
22 DE FEVEREIRO

Ciclone no sul do país traz chuva e põe MS sob alerta de tempestade
20 DE FEVEREIRO

Terminam nesta terça inscrições para 620 vagas de cursos a distância do IFMS
20 DE FEVEREIRO

Papa e a Cúria Romana participam de retiro espiritual nesta semana
19 DE FEVEREIRO

Santa Mariana
Atualizado em 09 de Março, 2017



História da Padroeira

Nasceu em Quito em 31 de Outubro de 1618 .Filha de Don Girolando Flores Zenel de Paredes ,um nobre de Toledo e D. Mariana Cranobles de Xaramilo. Diz a tradição que o seu nascimento teria sido acompanhado de um fenômeno celestial incomum. Ela ficou órfã muito nova e foi criada pela irmã mais velha e seu cunhado. Mariana era uma jovem piedosa com forte devoção a Maria. Ela foi milagrosamente salva da morte várias vezes. Atraída para a vida religiosa aos 10 anos fez os votos de pobreza, castidade e obediência.

Ela inicialmente desejava ser uma freira Dominicana, mas em vez disto se tornou uma eremita na casa de sua irmã e sua vida mudou a tal ponto que exceto a para ir a igreja, não saia de casa. Dada a forte e severa austeridade ela pouco dormia, orava horas a noite, só comia 250 gramas de pão seco ao dia e as vezes ficava até oito dias sem comer nada, se alimentando somente da Eucaristia, a qual recebia diariamente, na Comunhão. Durante os terremotos de 1645 e as enevitáveis epidemias em Quito ela publicamente em oração, se ofereceu como vitima para a cidade e morreu logo após. Imediatamente após sua morte nasceram lírios brancos de seu sangue e as epidemias desapareceram milagrosamente.

A Republica do Equador a declarou oficialmente "heroína nacional". Ela faleceu em 26 de maio de 1645 e foi beatificada em 10 de novembro de 1853 pelo Papa Pio IX e foi canonizada em 1950 pelo Papa Pio XII. É padroeira dos órfãos e pessoas doentes e é a padroeira de Quito. Sua festa é celebrada no dia 26 de maio.

Endereço:
Rua Mityssuio Aratani, 820
Parque do Sol
Campo Grande – MS

Horários de Missa:
Quarta-feira às 19h30
Domingo às 18h